Início > audiência e tv > Tutancâmon era fruto de relação incestuosa, mostra análise

Tutancâmon era fruto de relação incestuosa, mostra análise

CAIRO – O rei adolescente do Antigo Egito, Tutancâmon, era fruto de um casamento incestuoso, dizem cientistas, numa revelação que ajuda a explicar por que ele era coxo e sofria de outras deformidades e problemas genéticos.

Tutancâmon morreu de malária e infecção óssea, diz estudo

A pesquisa, que incluiu testes realizados na múmia do faraó, descoberta em 1922, mostrou que os pais do rei eram irmãos e que ele só tinha um casal de avós.

Alianças incestuosas eram comuns entre a realeza egípcia, disse o egiptólogo Zahi Hawass. “Um rei podia casar-se com a irmã e com a filha, porque ele era um deus, como Ísis e Osíris”.

Especula-se há tempos sobre o destino do rei, que morreu em algum momento do ano 1324 a.C., provavelmente aos 19 anos. Os cientistas estão apresentando mais detalhes de testes de DNA e análises de tomografia conduzidos em Tutancâmon e em outras 15 múmias.

Na terça-feira, 16, pesquisadores revelaram que Tutancâmon tinha malária, uma fissura no palato e uma doença genética nos ossos.

Cientistas identificaram Akenaton, o faraó “herege” que impôs o monoteísmo ao Egito, como pai de Tutancâmon.

Akenaton casara-se  inicialmente com Nefertiti, uma mulher famosa por sua beleza, mas não teve filhos com ela. Ele tomou a irmã como esposa na tentativa de ter um herdeiro.

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: